Modalidades do skate

Conheça mais sobre as modalidades de skate e descubra as várias opções que você pode praticar e se divertir com o seu skate.

Bowl ou bacia traduzido para o português, é uma cópia das piscinas californianas que eram utilizadas para andar de skate nos anos 70. Algum tempo após o surgimento do esporte, os skatistas descobriram que podiam andar de skate dentro das piscinas vazias, pois a transição na parede das piscinas era bem parecida com as ondas do mar. Skatistas californianos invadiam as casas que tinham piscinas para andar de skate. A transição da pista ajudou na evolução do esporte e das manobras, foi ai que surgiu os primeiros aéreos da história do skate, e que posteriormente acabou dando origem a modalidade do Half-Pipe. Neste tipo de pista fechada e rápida, as manobras mais comuns são as manobras de borda e os aéreos, onde o atleta é projetado para fora da borda da pista ficando com as quatro rodas do skate no ar e depois volta para pista. Fazer a manobra acima do coping e a alguns metros do chão requer muita pratica, e por isso é importante o uso de equipamentos de segurança como o capacete e joelheiras, porque tudo que sobe, desce!
O Banks é uma vertente do bowl mas em uma escala menor, alguns também chamam de piscina, mas com as paredes em um ângulo mais aberto e assim tem a sua transição mais leve e suave sem a parte do vertical de 90° que é muito comum no bowl e também no Half-Pipe. No Banks também é possível mandar uns aéreos mas é muito forte as manobras de borda, onde o skate desliza pela borda com o truck e pode deslizar também com o shape. Neste tipo de pista o skate flui muito mais que em uma mini-ramp que tem o formato da letra U, no Banks assim como o Bowl a transição da pista é fechada igual a uma piscina mas com as bordas de ferro ou coping-block.
O downhill slide é a modalidade de skate que teve início ainda na década de 60, geralmente praticado em ladeiras e em ruas que tenham uma boa descida para pegar velocidade. Após alcançar certa velocidade o skatista começa a fazer manobras deslizando com o skate sobre o asfalto, por isso o nome slide, que quer dizer deslizar. Esta modalidade e as primeiras manobras surgiram com a intenção de imitar as manobras feitas por surfistas dentro da água, as famosas rasgadas. O californiano Clifford Coleman foi um dos primeiros skatistas a mandar esta manobra nas ruas e logo depois foram inventando outros slides agachados e com a auxilio das mãos que possibilitavam maior equilíbrio em altas velocidades e também usavam os slides para frear e perder velocidade. No downhill slide as manobras mais comuns são os 360° slide e o 180° slide, onde nestas manobras o skatista desliza e gira junto com o skate em torno de seu próprio eixo. Esta modalidade pode ser praticada tanto com o skate padrão como os skates longboards que são maiores e mais velozes. Em Curitiba é muito praticado por skatistas no parque São Lourenço e na pista do Guabirotuba, onde tem uma pista própria pra quem busca adrenalina e diversão sobre rodas.
O downhill é uma das primeiras modalidades do skate, onde a diversão do surf no asfalto era descer várias ladeiras e ruas em alta velocidade como se estivessem descendo uma onda no mar. Hoje em dia este esporte tem que ser praticado utilizando vários equipamentos de segurança, como capacete fechado, macacão especial, joelheiras e luvas, pois a velocidade pode ultrapassar os 100 km/h facilmente, dependendo da descida e do skate que também evoluiu e agora são praticados com longboard, um skate com o shape maior, truck especial e mais largo, rodas maiores, tudo isso para conseguir uma maior estabilidade e segurança em alta velocidade. O brasileiro Douglas “Dalua” chegou a marcar 130 km/h. Em Curitiba também é muito praticado por skatistas no parque São Lourenço e na pista do Guabirotuba, onde tem uma pista própria pra quem busca adrenalina e diversão sobre rodas.
Por enquanto a Mega Rampa é a ultima evolução do skate e uma das mais radicais e perigosas inventadas até agora. Nesta modalidade o skatista começa descendo uma rampa com mais de 20 metros de altura, isso para ele conseguir velocidade suficiente para saltar por cima de um buraco de 20 metros fazendo uma manobra e aterrissar no outro lado, onde tem mais uma rampa de pouso que levará o atleta até um quarter de aproximadamente 9 metros de altura, onde mais uma vez o skatista tem que dar mais uma manobra nas alturas, e este aéreo pode chegar a 16 metros do chão ou mais. Esta modalidade foi inventada pelo skatista Dany Way, mas quem tem dominado ultimamente é o brasileiro Bob Burnquist.
Também conhecida como Mini-Rampa, é um Half-Pipe menor e sem a transição vertical de 90°, geralmente seu tamanho varia de 1 metro a 2 metros de altura com coping e um cano de ferro na borda para ajudar nas manobras. A Mini-Ramp possui uma transição mais leve e suave que facilita a execução das manobras, aprender a andar em uma Mini-Hamp é muito importante para a formação de um bom skatista, pois a base de andar nas transições e a dropar se aprende muito facilmente neste tipo de pista onde também é muito comum as manobras de borda. Em Curitiba existe várias pista neste formato, uma das mais conhecidas é a pista do ambiental, entre outras...Neste tipo de pista também é aconselhável o uso de equipamentos de segurança como capacete e joelheira, pois protege de quedas freqüentes e evita machucados e lesões mais sérias.
Ou estilo livre é uma das modalidades mais antiga. O skatista tem que fazer manobras em um chão plano e geralmente sem obstáculos. A maioria das manobras nesta modalidade requer muito equilíbrio, em alguma das manobras o skatista fica equilibrado em cima de apenas uma rodinha enquanto gira em torno de seu próprio eixo, ou a clássica manobra de ficar de cabeça para baixo equilibrando-se apenas com as mãos apoiadas no skate e com os pés para cima. Mas um atleta foi fundamental para a grande evolução das manobras no skate, Rodney Mullen, que na pratica do Freestyle inventou manobras como o flip, kickflip, varial e muitas outras.
O slalom também é uma modalidade bem antiga e muito praticada nas décadas de 70 e 80, onde o skatista tem que percorrer um trajeto passando entre os cones colocados no chão no menor tempo possível. A competição consiste basicamente em ver qual skatista é o mais rápido desviando dos cones fazendo um zig-zag e chegar ao final sem derrubar nenhum cone para não ser penalizado.
A primeira modalidade do skate foi o street, onde o esporte começou sendo praticado, nas ruas. Como na época do surgimento do skate ainda não existia pistas ou local próprio para a pratica deste esporte, os skatistas andavam nas ruas, surfando no asfalto, subindo e descendo calçadas, pulando escadas e descendo ladeiras, assim foi acontecendo a evolução do skate e das manobras. O skate street consiste em praticar o skate nas ruas, ao ar livre no meio da cidade fazendo manobras nos obstáculos naturais que achar pela frente como escadarias, corrimão, rampas e bancos. Hoje em dia existem skateparks e várias pistas de skate com obstáculos que imitam a rua. Rodil Ferrugem, Piolho e Daniel Vieira São alguns paranaenses que fizeram história no esporte.
O Half-Pipe é uma pista de skate que tem a forma da letra “U”, e tem em média 4 metros de altura e pode ser feita de cimento ou de madeira, com folhas de compensado. Traduzindo Half-Pipe quer dizer metade de um tubo, surgiu algum tempo depois que os skatistas californianos descobriram que podiam andar de skate nas piscinas, pois a transição é muito parecida com a onda do mar. No Half-Pipe é muito comum a transição vertical de 90°, a famosa parede, que ajuda a jogar o skatista para cima, possibilitando fazer manobras conhecidas como aéreos, quando o atleta executa uma manobra no ar fora da rampa e depois volta. O skatista mais influente nos Halfs é o Tony Hawk, que dominou esta modalidade por muitos anos, hoje em dia vários skatistas brasileiros também estão dominando os primeiros lugares nas competições, são eles Sandro Dias o Mineirinho, Bob Burnquist e alguns paranaenses que já fizeram história como Mizael Simão, Franco, Kosake entre outros.